A cultura dos troféus de vidro

fadb3c5e8de4ce0a36c6b86eedd2e79e
Troféu “Areia” do torneio Mubdala de Tênis, desenhado por M. Velcocsky para a Lasvit

As qualidades do vidro, sua estética, brilho e a transparência, mesmo quando colorido, o torna a escolha preferida quando o objetivo é simbolizar luxo, confiabilidade  e nobreza. O vidro é uma tela transparente que permite ao artista desdobrar em mil sua criatividade, onde a luz ambiente modifica constantemente a percepção do objeto, tornando-o um spot de riqueza inesgotável, verdadeiro bálsamo para os olhos. Todos estes aspectos tornam o vidro um material quase mítico. Suas qualidades de brilho, cor e transparência são incomparáveis ao acrílico ou à resina.
Definitivamente a escolha do vidro para a confecção de troféus enobrece a causa, e justamente por isso o material foi escolhido para a confecção de troféus de premiações importantes como o Festival de Cinema de Cannes, o Tour de France, entre outros.

cq5dam.web.960.800
Troféu do Tour de France 2016, Lasvit, design por Peter Olah

A Lasvit, marca Tctheca de design em vidro, convida designers renomados para desenho de troféus diferenciados em vidro. O mais recente foi para os atletas Tchecos medalhistas das olimpíadas do Rio de Janeiro. Este troféu foi desenhado pela atleta Gabriela Koukalová, que além de medalhista possui formação em artes-plásticas. Outros troféus incríveis foram feitos para o campeonato Mubadala de tênis do Emirados Árabes, utiliza troféus sempre de vidro – devido ao país ser cercado de areia, matéria prima do vidro. Destacamos ainda o troféu do campeonato australiano de futebol, um grande anel de vidro e metal. Todos estes troféus em vidro você pode conferir no nosso painel do Pinterest neste link.

festival-de-cannes
Palm D´Or do 66º Festival de Cannes

No Espaço Zero desenhamos e produzimos troféus volumétricos em vidro com exclusividade. Utilizamos matéria prima de vidro cristal, e o cliente pode escolher entre os modelos “para todo propósito” – esculturas em vidro que inspiram e enobrecem – ou ainda pode solicitar um desenho exclusivo para sua empresa ou ocasião.

sabo-11-anos-escultura-elvira-schuartz
Troféu Sabó 11 anos

Entre os clientes que já foram atendidos destacamos FGV, Coca-Cola, Hospital Albert Einsten, Sabó.

trofeu_alberteinsten_cristal_espacozero
Hospital Albert Einstein, por Espaço Zero

Para solicitar seu troféu é simples! Entre em contato conosco em zero@espacozero.com.br, ou faça seu pedido on-line por meio de nossa ferramenta: vendas-online-espaco-zero

 

Vivenciando a vidraria

Esta  semana o espaço zero recebeu escolas e proporcionou aos alunos a vivencia da arte do vidro soprado.

As crianças conheceram o Atelier de Elvira Schuartz no Pacaembu e puderam aprender a técnica de fazer uma garrafa soprando o massa incandescente.

Munidos de óculos e equipamentos de segurança, cada aluno, acompanhado de um vidreiro, moldou uma garrafa de com pigmentos coloridos.
As escolas Wadorf trazem anualmente suas crianças no 3o ano – quando aprendem e vivenciam as profissões – para cobnhecer o oficio de soprar vidro.
Algumas escolas trazem poemas, outras trazem musicas e até pães feitos pelas próprias crianças (deliciosos…!) com simpáticos cartões que nos dão a satisfação em ensiná-los.
IMG_0347

 

Mestre Marcio

Mestre Marcio

Este mês o Espaço Zero presta uma homenagem especial ao Mestre Marcio.

Mestre vidreiro criado na casa e mestre de centenas de  alunos que através de suas mãos determinadas e carinhosas aprenderam  a arte mágica de soprar vidros, Marcio Faustino da Cruz completou 10 anos de  Espaço Zero. 

“É muito bom trabalhar com o Marcio. Parece que adivinhamos o que o outro pensa, vibramos juntos com o resultado final e esta saudável parceria faz o trabalho com cristal fluir deliciosamente.” afirma Elvira Schuartz

j

Já a argentina Monica Uhat se encantou com as aulas do Marcio. “Marcio é e foi pra mim um excelente vidreiro. ele me ensinou a admirar e querer a magia do vidro. A sua paciëncia e seu amor por esta arte que e;e faz é infinito. Trabalhar junto com Marcio é um prazer. Obrigada por compartilhar seu ofício”.

Não é pra menos que o apelido dele no meio vidreiro é “Menino de Ouro“!

 

Valeu Marcio!

ImagemImagem

Mestre Marcio

Mestre Marcio

Este mês o Espaço Zero presta uma homenagem especial ao Mestre Marcio.

Mestre vidreiro criado na casa e mestre de centenas de  alunos que através de suas mãos determinadas e carinhosas aprenderam  a arte mágica de soprar vidros, Marcio Faustino da Cruz completou 10 anos de  Espaço Zero. 

“É muito bom trabalhar com o Marcio. Parece que adivinhamos o que o outro pensa, vibramos juntos com o resultado final e esta saudável parceria faz o trabalho com cristal fluir deliciosamente.” afirma Elvira Schuartz

A argentina Monica Uhat se encantou com as aulas do Marcio. “Marcio é e foi pra mim um excelente vidreiro. ele me ensinou a admirar e querer a magia do vidro. A sua paciëncia e seu amor por esta arte que e;e faz é infinito. Trabalhar junto com Marcio é um prazer. Obrigada por compartilhar seu ofício”.

Não é ImagemImagempra menos que ele recebeu, entre os vidreiros de São Paulo o apelido de Menino de Ouro.

Valeu, mestre Marcio!

 

Quatro nomes, Quatro Artes

Da esquerda para a direita, Leonardo Sternberg, Elvira Schuartz, Thaís Guarnieri e Pedro Sands
Da esquerda para a direita, Leonardo Sternberg, Elvira Schuartz, Thaís Guarnieri e Pedro Sands

O Espaço Zero lançou, no último dia 7, a exposição Art Ecô, com uma coleção de jóias inusitada e eclética. O lançamento foi um sucesso, e aproveitamos para dar uma palavrinha com os quatro designers criadores das peças: Elvira Schuartz, Leonardo Sternberg, Pedro Sands e Thaís Guarnieri. Confira.

Elvira Schuartz
Elvira Schuartz

Há 20 anos criando arte em vidro e cristal, Elvira Schuartz sempre inovou no campo das esculturas e dos objetos de decoração. Agora, com a coleção Art Ecô, reinventa também o design de joias. A coleção não se trata apenas de aneis, brincos e pulseiras, mas também do real valor dos vidros na joalheria. “Pedras preciosas são milenares e, queiramos ou não, são o único fator de qualidade (dispenso comentários sobre acrílicos e sintéticos) a imprimir cor às joias. Os vidros que apareceram até hoje na joalheria não passaram de imitações baratas de pedras preciosas”, afirma a artista. As peças criadas manualmente por ela vão muito além das possibilidades oferecidas pelas pedras, pois trazem recursos que só o cristal permite, misturando seu brilho inigualável a tonalidades e nuances de cores.

http://www.espacozero.com.br

Leonardo Sternberg
Leonardo Sternberg

Engenheiro de produção com especialização em administração de empresas e planejamento tributário. Esse era Leonardo Sternberg até 2007, ano em que mudou radicalmente e se tornou designer de joias. “Aconteceu por acaso: minha filha contratou uma designer para fazer as joias que usaria em seu casamento e dei uns palpites nos desenhos”, conta. A designer era ninguém menos que Solange Schnapp, com quem Leonardo fez uma exposição pouco tempo depois. “Desde então, procuro novas formas. Por exemplo, criei uma série de alianças que, quando compostas, se tornam peças totalmente diferentes”, conta o designer. Com Elvira Schuartz, começou a trabalhar em 2009. “O cristal e o vidro estão totalmente integrados às minhas joias. Eles dão um efeito de cor que não consigo com as pedras.”

Contato: leonardo@sternberg.com.br

Pedro Sands
Pedro Sands

O norte-americano Pedro Sands trabalha com sopro em vidro há mais de dez anos e tem um estúdio no Kansas. Foi por meio da namorada brasileira, a artista plástica Yasmim Flores, que conheceu o Espaço Zero e Elvira Schuartz. Atualmente em curta temporada no Brasil, expõe algumas peças de seu trabalho na exposição Art Ecô.  “Através do vidro, descobri a arte. Sinto-me como se tivesse nascido de novo”, afirma. “Faço joias, vasos e outras peças, mas tenho focado meu trabalho na abstração.”

Contato: psssands@hotmail.com

Thaís Guarnieri
Thaís Guarnieri

A jovem designer se apaixonou pela arte da filigrana em viagem à América do Sul, onde se aprofundou na técnica durante um ano e meio. Em 2009, menos de dois anos após a volta ao Brasil, foi convidada pela gemóloga Mariana Magtaz para participar da feira de design International Expositions of Sculpture Objects and Functional Art (SOFA), realizada em abril em Nova York. “Como a feira é bastante conceitual, quis fazer algo diferente. Já conhecia o trabalho da Elvira e propus a ela que criássemos esculturas que misturassem filigrana e cristal”, lembra. Foi daí que surgiu a série de “joias para não vestir” intitulada Jardim, atualmente exposta no Espaço Zero. “A exposição Art Ecô está sendo uma ótima oportunidade de mostrar essas peças no Brasil”, diz Thaís.

http://www.thaisguarnieri.com.br

*Por Ponto & Vírgula Comunicação